Corredor abre mão de primeiro lugar para guiar adversário confuso

Temos orgulho de conhecer grandes atletas!

Corredor abre mão de primeiro lugar para guiar adversário confuso
Corredor abre mão de primeiro lugar para guiar adversário confuso

Há alguns anos, a história de dois corredores que faziam parte de uma mesma competição ganhou o mundo. De forma impactante, a narrativa dessa corrida acabou se tornando algo atual, principalmente nos dias de hoje.

É muito comum vermos pessoas procurarem ganhar vantagens em diversas situações, sejam ela em trabalhos, questões pessoais e acredite, até dentro das competições esportivas.

Ivan Fernández Anaya é um atleta espanhol que ficou bastante conhecido em uma prova de cross country de Burlada, em Navarra, região Norte da Espanha.

Te interessa?

E não, ele não ganhou a competição. Não que não quisesse, claro, assim como os demais, Ivan deu o seu máximo queria igual aos adversários conquistar o primeiro lugar.

Mas assim que estava chegando no final, percebeu que um outro competidor sempre estava na sua frente e com a linha de chegada bem próxima, ele ficaria em segundo lugar porque o queniano Abel Mutai ficaria em primeiro.

Só que o Abel acabou ficando confuso ao chegar nos metros finais, foi diminuindo a sua velocidade e quase ia ficando por ali mesmo, se não fosse pela atitude de Ivan.

Ele até poderia ter se aproveitado do equívoco do amigo para ganhar a medalha de outro. Porém, saberia para sempre que o verdadeiro campeão daquela competição não era ele.

Uma atitude que poucos teriam

Seguindo atrás do Abel, Ivan chegou a orientá-lo com um toque em suas costas, continuando em seu segundo lugar e indicado o verdadeiro final da corrida para o queniano.

Ao ser questionado pelos jornalistas que estavam no loca – e muitos sites afirmaram que alguns até estavam chateados -, Ivan teve uma resposta muito impressionante e ao mesmo tempo emocionante:

“Ele foi o vencedor por direito. Ele criou uma lacuna que eu não poderia ter preenchido se ele não tivesse cometido um erro. Assim que vi que ele estava parando, soube que não iria ultrapassá-lo.”

Para ele, conquistar o primeiro lugar na prova só poderia ser por seu mérito. Como o queniano mostrou-se ser um belo competidor, ele não poderia fazer isso com ele:

“Acho que é melhor o que eu fiz do que se tivesse vencido nessas circunstâncias. E isso é muito importante, porque hoje, como estão as coisas em toda sociedade, no futebol, no sociedade, na política, onde parece que vale tudo, um gesto de honestidade vai muito bem.”

Nos dias de hoje, como falamos mais acima, precisamos sempre enaltecer histórias de pessoas como esse grande atleta, que não foi grande por causa de um primeiro lugar, mas por seu caráter. Ele disse ainda:

“Meu sonho é que um dia possamos ter uma espécie de vida comunitária. Mas qual seria o mérito da minha vitória? Qual seria a honra dessa medalha? O que minha mãe pensaria disso? ”

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar