Ex-empacotador e indígena da tribo Pataxó é estrela em desfiles internacionais

Do Brasil para o mundo!

publicidade

Com um rosto marcante e uma beleza que chama a atenção, Noah Alef caiu nas graças de grifes internacionais famosas e vem crescendo dentro do mundo da moda. Natural de Jequié, interior da Bahia, o jovem de apenas 22 anos desfila desde 2021 e já trabalhou para marcas nacionais como Isaac Silva, João Pimenta, Handred e Ponto Firme.

Agora em Milão, na fashion week masculina, o modelo estrela da agência Way Model sonha em levar ao mundo a beleza do seu povo, os Pataxós. “Quero que a beleza indígena seja mais valorizada! Meu foco é poder dar visibilidade ao meu povo através da moda e, assim, chamar atenção para os tantos problemas que enfrentamos“, afirmou Noah.

Antes de ser modelo, ele trabalhou como empacotador em mercados da sua cidade e também fez bicos como pintor. Todo esse caminho ajudou o jovem a evoluir e a reconhecer tudo o que tem conquistado. “Todos os dias eu penso o que já passei para chegar até aqui. O quanto durou para chegar até aqui. Fico muito feliz pela minha persistência e sempre colocando fé nesse sonho”, explicou.

publicidade

Te interessa?

Apesar da beleza que lhe rendeu um emprego no ramo da moda, Noah relata que já precisou lidar com problemas de autoestima, algo curiosamente muito comum entre modelos famosas e famosas. No entanto, tudo isso ficou para trás e hoje o jovem diz que se ama.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Noah (@noahalef)

O modelo é agenciado pela WAY Models, empresa responsável por profissionais de peso, como Carol Trentini, Sasha Meneghel e Alessandra Ambrósio. E se depender do empenho, o nome de Noah ainda será muito comentado em passarelas de grandes cidades da moda.

publicidade

REPRESENTATIVIDADE

Com mais de 250 mil seguidores no Instagram, Noah compartilha os seus ensaios, dia a dia de trabalho e ainda defende pautas sociais. Recentemente, ele fez um post sobre o desaparecimento de povos indígenas da etnia Yanomami, caso que repercutiu nas mídias, redes sociais e diversos movimentos.

Parece que vivemos ainda em 1500 quando o nosso país Pindorama conhecido como o Brasil foi invadido pelos colonizadores, e é exatamente isso que estamos vivendo com este governo GENOCIDA, um dos povos indígenas da etnia Yanomami sumiu do nada e ninguém sabe para onde. Cadê os Yanomami? Queremos justiça!”, escreveu na postagem.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Noah (@noahalef)

publicidade

De acordo com o site Povos Indígenas no Brasil, os Pataxó vivem em diversas aldeias no extremo sul da Bahia e no norte de Minas Gerais. “Há evidências de que a aldeia de Barra Velha existe há quase dois séculos e meio, desde 1767”, afirma o texto do site.

Por estarem em contato com os não índios desde o século XVI e muitas vezes obrigados a esconder seus costumes, esses indígeneas hoje se esforçam para manter viva a língua mãe e rituais tradicionais, como o Awê.

Por aqui a gente torce muito para que a carreira do Noah decole e ele tenha todo o sucesso do mundo!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

Fontes: Extra e Terra

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar