Lar de idosos encontra forma amorosa de deixar isolamento mantendo toda a segurança
Lar de idosos encontra forma amorosa de deixar isolamento mantendo toda a segurança

Lar de idosos encontra forma amorosa de deixar isolamento mantendo toda a segurança

De forma segura, foi possível adiantar a alegria dos vovôs e vovós cheios de saudades!

publicidade

Os efeitos da quarentena para algumas pessoas podem ser bem mais difíceis. E um dos grupos que não podemos negar que mais sentiu essa carência, foram os idosos. Exigindo uma cautela ainda maior, as restrições para com eles acabaram sendo aumentadas.

Por estarem inseridos em um grupo de risco, as recomendações para as pessoas mais velhas desde o início foram estabelecidas com mais vigor. Sendo assim, os vovôs e as vovós que estavam em casas de repouso, acabaram ficando um pouco mais distante.

Reconhecendo que agora as coisas estão se encaminhando para voltar ao normal, um lar de idosos no Rio de Janeiro decidiu de uma vez por todas, criar uma forma de aproximar ainda mais rápido seus familiares dos que precisarão passar um tempo em cuidado dobrado.

publicidade

A casa Três Figueiras criou um tipo de túnel, onde as pessoas que pudessem fazer suas visitas, ainda que não estivesse em contato totalmente direto, tivesse a chance de abraçar por muito tempo os amados velhinhos.

tunel-do-abraço

Ao perceber que eles estavam ficando cada vez mais tristes, criaram logo na entrada um revestimento feito todo de plástico, com vários buraquinhos em alturas diferentes, onde era possível colocar os braços por ali e de forma segura, e dar um abraço em quem tanto ama.

 A administradora da clínica, Rubia Santos, chegou a contar em entrevista: “Percebemos que nossos residentes mais velhos estavam se sentindo tristes. Pensamos que eles ficariam muito mais felizes se encontrássemos uma maneira de abraçar seus parentes“.

publicidade

abraço-seguro

E a verdade é que pensaram em tudo! Criaram aberturas diferentes uma das outras, com alturas distintas, para que não só os adultos pudessem abraçar os seus parentes mais velhos, mas também as crianças pudesse participar desse afeto na vida de uma família.

Até o mesmo os que usam cadeiras de rodas não ficaram fora dessa. Pensaram também como seria mais difícil abraçar as pessoas sentadas e também criar um cantinho específico para cada uma delas.

Desse modo, o lar conseguiu adiantar de forma segura, as rotinas normais que aconteciam antes do isolamento social por causa do coronavírus. E o mais importante de tudo, deixaram pessoas incríveis, que tanto precisam de afeto, mais felizes.

Fonte: Good News Network

publicidade

COMENTÁRIOS | Deixe sua opinião!

comments