Para não ficar sem estudar, pai monta cabana para filho no meio da roça
Para não ficar sem estudar, pai monta cabana para filho no meio da roça

Para não ficar sem estudar, pai monta cabana para filho no meio da roça

Ele poderia ter tudo para reclamar, mas escolhe aproveitar o máximo que tem, para buscar algo importante: o conhecimento!

publicidade

Desde que a quarentena estabeleceu que as aulas presenciais seriam canceladas, que as histórias de crianças dedicadas aos seus estudos nos encantam. Ainda que exista uma grande dificuldade em ter esse acesso em diversas áreas do nosso país e do mundo,  algumas coisas nos inspiram bastante.

Murilo Lopanski tem apenas 10 anos, mas mostra uma postura de gente grande quando o quesito é dedicação aos estudos. Mesmo com muita dificuldade, ele mostra ao mundo que sabe bem o que precisa ser valorizado. 

Morando na área rural de Mallet, que fica no sul do estado do Paraná, foi o pai do garoto quem pensou em encontrar uma solução para melhorar o momento de aula do garoto. Por ter acesso restrito à internet na região, as coisas pareciam ser bem complicadas.

publicidade

Ainda sim, ao encontrarem um ponto no meio da roça da família, Murilo viu uma oportunidade de manter seus conhecimentos se construindo mais e mais. Lá era o único local que a internet móvel cedida pela escola, funciona bem o bastante para assistir as aulas.

Então, no final do mês passado, seu pai criou uma estrutura bem simples com madeira e revestindo-a com plástico, fixou uma cabana só para deixar o Murilo mais confortável quando for assistir as aulas. O garoto até comentou sobre o resultado: “”Posso estudar protegido do sol e até dos cachorros da vizinhança”.

Muito esforço e dedicação, todos os dias

Se mostrando interessado em continuar aprendendo, não podemos negar que tudo isso poderia contribuir para a exaustão dessa criança, quem sabe até o fizesse desistir de tentar. Mas a história é outra!

publicidade

De acordo com ele, todos os dias ele se prepara para ter aulas logo cedinho e às 7h30, já está em sua cabaça para conseguir acessar às aulas.”Não tem rede wi-fi aqui, então essa é a solução“, completa Murilo.

Morando a cerca de 10 quilômetros de sua escola, o garoto começou estudando com materiais impressos que eram fornecidos pela instituição de forma quinzenal, mas logo em seguida, passaram para o uso do aplicativo.

E sabe o que o garoto achou disso? Veja o que ele disse: “ainda sinto falta da professora, da aula, mas no celular é mais fácil acompanhar do que nas lições impressas”.

Não é de agora que seu esforço constante chama a atenção das pessoas. De acordo com a diretora da Escola Estadual Nicolau Copérnico, onde ele estuda, ele é super dedicado:

“Ele é um ótimo aluno, fazia todas as atividades impressas, mas um dia a pedagoga da escola mostrou que ele podia usar o aplicativo, eles baixaram, ele se cadastrou, gostou, e deu certo”, completou Eliana Renzzo.

publicidade

Como chegamos a falar, a verdade é que o Murilo é uma verdadeira inspiração para todos nós! Mesmo com tantas dificuldades, está em busca do seu crescimento!

Fonte: G1