Passageiros realizam parto de mulher na cozinha do avião

No final das contas, todos ficaram bem!

Passageiros realizam parto de mulher na cozinha do avião
Passageiros realizam parto de mulher na cozinha do avião

Ainda essa semana, um voo da Air India que estava saindo de Londres para Kochi, teve um momento que pode até ter assustado um pouco, mas que com certeza deixou todos os passageiros bem emocionados.

No dia 5 desse mês, uma passageira do voo AI 150 começou a sentir fortes dores que indicavam contrações em sua gravidez. Sem estar ainda no tempo do bebê nascer, ele estava dando sinal de que viria a nascer.

Com cerca de 21 semanas de gravidez, que equivale à cerca de 5 meses, a tripulação começou a oferecer toda ajuda possível para a mamãe, quando perceberam que o parto seria inevitável.

Te interessa?

Anunciando que uma mulher grávida estava entrando em trabalho de parto aos passageiros, o pessoal se reuniu para prestar todo apoio para a mamãe e conseguiram contar com ajuda médica.

Perguntando se haviam pessoas da área de saúde capacitadas, no meio das 200 pessoas estavam dois médicos e quatro enfermeiras, que se puseram de prontidão para realizar o parto prematuro.

Na cozinha do avião, a tripulação preparou no meio de um improviso atrás do outro, um local apto para a realização do parto. E foi exatamente isso que aconteceu!

Com a ajuda dos médicos e enfermeiras, o bebê conseguiu vir ao mundo com segurança, onde de acordo com as informações repassadas pela linha aérea, ele está bem.

Claro que o momento acabou se tornando um verdadeiro viral. Nas redes sociais, as pessoas se mostraram gratas por um “acaso” que deu muito certo. Veja a publicação que a página oficial da Air India fez:

Um final feliz para mamãe e bebê

Assim que o avião chegou em terra firme, mamãe e bebê foram encaminhados para um hospital em Frankfurt, onde passaram a receber os cuidados adequados que precisavam.

A Air India escreveu mais: “Nossos funcionários estão em contato constante com a família e todo o apoio necessário está sendo fornecido. Em breve, eles estarão voando para casa conosco”.

Como as leis atuais da Alemanha e da Bulgária não garantem dar a cidadania para o bebê – já que ele nasceu em espaço aéreo dos territórios dos países -, o bebê ganhou a cidadania da mãe, que é indiana.

No final das contas, tudo deu bem mais que certo e os dois marcaram a vida dos passageiros e da tripulação desse voo.

Veja mais ›
Fechar