Professor indígena que precisa atravessar rio e percorrer 30 km para dar aula, conquista web e se torna modelo de inspiração para o país
Professor indígena que precisa atravessar rio e percorrer 30 km para dar aula, conquista web e se torna modelo de inspiração para o país

Professor indígena que precisa atravessar rio e percorrer 30 km para dar aula, conquista web e se torna modelo de inspiração para o país

Esse é o nosso verdadeiro modelo de inspiração!

publicidade

Não existe nenhum exagero quando falamos em que a atitude deste professor é uma forma verdadeira de demonstrar ou amar para outras pessoas. Ao ter sua história contada Em uma matéria publicada no G1, esse professor de imediato se tornou um modelo de inspiração profissional para o país inteiro.

São muitas as dificuldades para obter uma aula com cerca de 88 alunos dentro da Raposa Serra do Sol, localizado na comunidade Matri, em Normandia, ao Norte de Roraima.

O professor é identificado Telmo Ribeiro, de 48 anos, chegou a contar um pouco sobre a verdadeira dedicação por trás de 6 profissionais da educação, que buscam levar ensino para a escola indígena Presidente Afonso Pena.

publicidade

O que chegou a surpreender todos os internautas que chegaram a ler sua história e o trajeto que percorre de forma quinzenal para conseguir ter atividades impressas para os seus alunos, foi a tamanha dificuldade em se locomover.

Por não ter nenhuma impressora na escola, o professor Telmo que dá aula para os estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, é preciso ir até a comunidade mais próxima, que fica na região do lago Caracaranã.

professor-indigena-percorre-30-km

Durante duas horas de moto, esse professor precisar passar por um trajeto super difícil de ser acessado, seja de automóvel, de bicicleta ou a pé, por não haver nenhum barco disponível para ajudá-lo, é preciso entrar na água para conseguir esses materiais.

publicidade

“Para imprimir as atividades a gente vai de moto até o igarapé cheio. Chegando lá tem que procurar um meio para atravessar sem molhar o material dos alunos. Do outro lado, pega a bicicleta, depois larga e vai caminhando pela estrada submersa pela água. Ainda corremos risco com animais como jacarés e cobras”, conta o professor.

E não é nada fácil! Depois que percorrer todo esse trajeto, é preciso mais uma vez, percorrendo o mesmo, para poder voltar e entregar a cada aluno seu, as suas atividades e materiais necessários para estudar. E tudo isso fazendo sol ou chuva!

professor-indigena-percorre-30-km

Ainda que seja tudo muito difícil, é nesses pequenos momentos de encontro entre professor e aluno para entrega de material, que a criançada chega a ter a oportunidade de perguntar e tirar dúvidas sobre os assuntos.

Para que possa suprir uma demanda por completa, esse professor e os seus outros cinco colegas educadores, chega a sair de casa às 7 horas da manhã e acabam retornando apenas entre as 17, 18 horas.

publicidade

Mesmo sem ter recebido a respostas sobre a Secretaria de Estado de Educação e Desporto sobre a falta de acolhimento para com eles, o que não falta são internautas de toda parte do país reconhecendo a necessidade de ajudá-los.

Essa história de dedicação chamou tanta atenção na internet, que agora, o que não falta são pessoas reforçando as necessidades de acolhimento para com eles. Esse são os profissionais que inspiram o verdadeiro valor de um educador.

Fonte: G1