Soneto ORIGINAL de Pablo Neruda é reencontrado 47 anos após sua morte
Soneto ORIGINAL de Pablo Neruda é reencontrado 47 anos após sua morte

Soneto ORIGINAL de Pablo Neruda é reencontrado 47 anos após sua morte

Uma dose de literatura para se animar!

publicidade

Mais uma vez, a literatura foi surpreendida por um material inédito que não poderia faltar nos corações dos fãs do poeta Pablo Neruda. Na última semana, uma descoberta em um grande “acaso”, revelou um belo soneto escrito por ele.

Depois de 47 anos de sua morte, em 23 de setembro de 1973, essa versão encontrada é a primeira de Sangre de Toro, que ele chegou a escrevê-lo para homenagear um vinho húngaro bem popular de sua época.

O mais incrível é que essa versão está em um papel cheio de batalhas, bem surradinho. Além de ser a primeira ,versão, ele foi datilografado pelo grande escritor, corrigido com caneta em pontos faltantes e o melhor, foi assinado pelo escritor.

publicidade

Quem fez a grande descoberta foi uma médica do Chile, identificada como Marcia Telteinboim, que acabou o encontrando por acaso, quando revirava algumas coisas antigas de sua falecida mãe. Ao descobrir esse achado marcante, disse como aconteceu:

“Revendo as lembranças de minha mãe, que acabara de falecer, encontrei uma caixa de plástico com fotos antigas, documentos e cartas. De repente, apareceu um papel, fino e em razoáveis condições. Era um poema de Neruda, assinado por ele”.

O poema encontrado pela médica foi publicado originalmente no livro escrito pelo Pablo Neruda e o amigo também escritor guatemalteco Miguel Ángel Asturias, que foi publicado em 1969.

publicidade

De acordo com um professor do Centro de Estudos Culturais da Universidade do Chile, Grínor Rojo, esse poema com muita certeza foi escrito pelo próprio Pablo. E disse mais:

“É um poema muito nerudiano, pela sua riqueza figurativa. Neruda é um poeta de extraordinária imaginação sensorial e os cinco sentidos estão presentes neste brevíssimo texto. Este é Pablo Neruda na íntegra”.

Encontrado de forma completamente esplendorosa, temos o privilégio de conhecer como esse poema foi escrito originalmente. Graças a médica, relebrarmos mais uma vez como o poeta era sensacional com a mistura das palavras para compor.

Sergio Teitelboim e Perla Grinblatt, o casal de amigos de Neruda que guardou seu soneto ‘Sangre de Toro’, fotografados nos anos sessenta.

Se você está curioso para saber qual é o poema que estamos falando, veja a seguir e sinta mais um privilégio de ser encantado pela escrita de Neruda já traduzido em português:

“Vinho robusto, sua família

publicidade

ele não usava tiaras ou diamantes:

sangue e suor colocados em sua testa

uma fragrante rosa roxa.

A rosa se tornou um touro urgente:

sangue se tornou vinho de navegador

e o vinho tornou-se sangue diferente.

Vamos beber essa rosa, caminhante.

Ele veio da agricultura com os avós,

de mãos maltratadas e amadas,

touro com coração de veludo.

Seu golpe mortal nos dá vida

e nos deixa deitados no chão

respirando e cantando através da ferida. “

Sem dúvida nenhuma, os apreciadores de literatura com muita certeza também estão em festa com essa descoberta sensacional. 

Fonte: El Pais