Jogadora brasileira assina contrato com a Nike e pode se tornar a mais cara da história

Vale a pena ficar de olho na trajetória da moça!

Jogadora brasileira assina contrato com a Nike e pode se tornar a mais cara da história
Jogadora brasileira assina contrato com a Nike e pode se tornar a mais cara da história
publicidade

É muito legal ver como o futebol feminino tem ganhado espaço nos últimos anos. Uma diferença clara é que, na TV aberta, já é possível assistir a jogos de campeonatos nacionais – algo que não acontecia há uma década, por exemplo.

E é nesse contexto que uma nova jogadora tem brilhado na seleção brasileira. O nome dela é Ingrid Aparecida Borges de Morais, mais conhecida como Jhonson, que acaba de assinar um contrato milionário com a Nike.

Johnson explica que o seu apelido inusitado vem da sua terra natal, Londrina, no norte do Paraná.

publicidade

Te interessa?

“Minhas amigas começaram a me chamar de Jhon. Aí fui jogar em Toledo, e o técnico me perguntou se tinha apelido. Disse: Tenho dois, ‘Dumbinha’ que meu pai colocou e ‘Jhon’ que as amigas colocaram. Nisso ele perguntou por que Jhon e eu expliquei. Ele me disse então que Jhonson, lá na frente, iria estourar. Eu concordei, gostei, coloquei na minha camisa e estou usando até hoje”, disse ao jornal O Globo.

Jogadora tem apenas 16 anos e já faz história (imagem: Reprodução/Tem Londrina)

Com apenas 16 anos, ela já chegou ao posto de artilheira do Sul-Americano Sub-17, disputado recentemente no Uruguai. Johnson balançou a rede nove vezes e ajudou a seleção brasileira a conquistar o treta. “Estou feliz por ser artilheira da seleção. É o sonho de muitas e estou realizando um sonho meu”, afirmou, segundo o site Tem Londrina.

Como se não bastante a honra do título, Jhonson também assinou um contrato com a Nike e se juntou ao seleto grupo de atletas brasileiros com patrocínio da empresa: entre eles, Anderson Varejão, Gabriel Medina e Alexandre Pato.

publicidade

E você acha que acabou por aí?

A jogadora teve seu contrato com o Toledo renovado até 2026 com uma multa rescisória de R$ 2,5 milhões, aproximadamente 500 mil euros. Para um clube do exterior comprá-la, terá que pagar cerca de 10 milhões de dólares.

Jhonson foi artilheira do Sul-Americano Sub-17 (imagem: Reprodução CBF/Tem Londrina)

Futuro promissor

Essas cifras indicam que Jhonson poderá se tornar a jogadora mais valiosa da história. Até o momento, a mais cara é a atacante dinamarquesa Pernille Harder. Ela saiu do Wolfsburg (da Aleamanha) para o Chelsea (da Inglaterra) por 337 mil euros, cerca de R$ 1,8 milhão. Ou seja, valor inferior ao da craque brasileira.

publicidade

Não é exagero dizer que Jhonson tem muito potencial pela frente na sua carreira. O Brasil tem grande tradição no futebol e é um orgulho ver uma mulher brilhando e indo longe com apenas 16 anos. Com notícias como essas, já dá até para sonhar com grandes títulos que virão no futuro, como medalha de ouro nas Olimpíadas e a conquista da Copa do Mundo feminina.

Que sua trajetória sirva de exemplo para outras meninas que possam olhar para Jhonson e dizer: “é possível! Futebol também é coisa de mulher e eu posso chegar lá”!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Fonte: O Globo e Tem Londrina

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar